Com suas dimensões reduzidas, simplicidade e versatilidade de uso do software de gestão e do simulador de estrada, combinadas com a precisão de medição durante os testes, permitem satisfazer as mais diversas condições de uso, do diagnóstico em oficina à concretização de avançadas soluções motorizadas em centros de desenvolvimento e preparação.A possibilidade de recriar no dinamômetro as condições verificadas em estrada, assim como a repetibilidade dos testes realizados, sempre foram o principal objetivo do desenvolvimento do dispositivo. Ao longo dos últimos anos, os métodos usados passaram por vários ajustes, o que permitiu obter certezas quanto à total confiabilidade dos testes realizados e dos resultados obtidos.

O uso dos freios de correntes parasitas (potência de frenagem teórica superior a 500 CV por eixo) permite realizar testes dinâmicos como:

  • Testes de durabilidade
  • Procedimentos de regeneração de filtros de partículas
  • Testes de consumo de combustível
  • Procedimentos de pesquisa e desenvolvimento no veículo
  • Verificações do funcionamento do equipamento e controle de qualidade

A confiabilidade mecânica do dinamômetro é certificada e resulta do uso de tolerância particularmente reduzida na fase de produção e da seleção de peças de alta qualidade. Isso permite, por exemplo, reduzir ao mínimo a manutenção programada, inclusive das peças que gerenciam a ligação hidráulica dos eixos na versão HLS®: Outros tipos de interconexão, ao contrário do sistema HLS®, necessitam de intervenções frequentes de manutenção, com substituição de partes mecânicas de transmissão sujeitas a desgaste.

A versão com sistema HLS® (Hydraulic Link System) permite ligar hidraulicamente os eixos para que girem à mesma velocidade: esta solução permite realizar com toda a segurança testes em veículos que, de outra forma, não poderiam ser testados, como veículos de tração integral equipados som sistemas eletrônicos ou mecânicos com repartição assimétrica da força motriz entre o eixo dianteiro e o eixo traseiro. Permite ainda testar veículos com tração em um único eixo, com transferência de movimento ao eixo feita por meio do sistema hidráulico HLS®. Esta função permite simular as condições em estrada, evitando a intervenção dos sistemas eletrônicos de controle de tração, estabilidade e frenagem que tornariam impossível a realização do teste.

O dispositivo DYNORACE é o único dinamômetro que oferece a possibilidade de conectar e desconectar os eixos através do sistema hidráulico HLS®: isso permite realizar testes com eixos associados (conexão ativa), ou com a forma tradicional de eixos autônomos, nos casos em que a conexão não é necessária ou poderia causar danos.

A opção por um sistema hidráulico de derivação industrial ao invés de outros dispositivos de conexão (correias dentadas ou veios de transmissão) garante a máxima segurança durante a realização de testes com torque e altas rotações de rolos. A solução adotada permite ainda usar rolos de menor diâmetro e, consequentemente, trabalhar com um dinamômetro de dimensões mais compactas, aumentando os níveis de segurança em relação aos dinamômetros monorrolo e reduzindo muito as intervenções de manutenção.

Todos os dinamômetros da linha auto Dynorace são mecanicamente projetados para se adaptarem a quaisquer condições de carga com peso máximo de 2.500 kg por eixo, e são equipados com um sistema pneumático de elevação do veículo e bloqueio dos rolos. Além disso, um motorredutor potente permite movimentar o dinamômetro alterando seu passo.

A parte elétrica e eletrônica de gestão do funcionamento do dinamômetro é comum a todas as versões e está reunida em um quadro elétrico instalado na própria máquina, enquanto que a gestão e o controle do software são feitos através de computador. Os dados adquiridos durante as fases de teste podem ser complementados pelos parâmetros adicionais fornecidos por dispositivos como o sistema de aquisição de dados analógico e o kit de medição do valor lambda da banda larga de dois canais separados.

Por último, o ventilador centrífugo , tem particular importância, uma vez que evita o aumento da temperatura do ar admitido e o superaquecimento do motor, situações que resultariam em adulteração dos valores de potência do veículo testado. O ventilador pode ser ligado a um inversor que liga a velocidade do ar à do veículo em teste, para simular melhor as condições de circulação em estrada.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DF4IS
(inercial)
DF4FS
(com freio)
DF4FSHLS
(com freio HLS)
DIMENSÕES
Dimensões Dyno (mm) 3190x4120x400 3190x4120x400 3190x4120x400
Largura dos rolos (mm) 650 650 650
Distância entre rolos (mm) 550 550 550
Faixa de rodagem (mm) 318 318 318
Distância entre eixos (mm) 850-2.100 850-2.100 850-2.100
Passo (mm) 2.000-3.040 2.000-3.040 2.000-3.040
Elevação e bloqueio pneumático pneumático pneumático
Peso (kg) 2.700 2.300 2.450
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h) 300 300 300
Potência na roda (kW) 400 400 400
Torque teórico na roda (kgm) - 160 160
Força de tração (kN) - 15 15
RPM máximo (giri/min) 5.000 5.000 5.000
Peso máximo por eixo (kg) 2.500 2.500 2.500
Dimensão da roda (polegadas) 13-23 13-23 13-23
Conexão eixos // // hidráulica
GESTÃO DE DADOS
Rotação dos rolos (rpm) 6.000 (encoder) 6.000 (encoder) 6.000 (encoder)
Medição da força (N) - 5.000 medidor de tensões 5.000 medidor de tensões
Gestão dos freios (vcc) - 192V / PWM 12 bit 192V / PWM 12 bit
Temperatura gases de escapamento (K) 1.000 1.000 1.000
Temperatura óleo (°C) / H2O (°C) 0 - 150 0 - 150 0 - 150
Sensor pressão turbo (bar) -1.00 + 3.00 -1.00 + 3.00 -1.00 + 3.00
Sonda Lambda (AFR-λ-Custom) Si Si Si

Os dados de medição são coletados e padronizados através de uma estação barométrica integrada de acordo com as seguintes normas: DIN 70020, EGW 80/1269, ISO 1585, SAE J1349, JIS D1001

Loading